domingo, 21 de fevereiro de 2010

Israel: uma democracia assassina?

O primeiro ministro da democracia israelita terá dado ordem directa para assassinar o líder do Hamas num hotel do Dubai.Terão sido usados passaportes diplomáticos europeus (falsos).


A Mossad tem uma longa história de operações deste género. O consenso interno (em Israel) parece ser de que são necessárias. Mas não é possível conviver com isto e continuar a considerar Israel um modelo de respeito pelos Direitos do Homem. Com apoio maioritário ou não, há actos que desonram quem os tolera ou, pior, os promove.