sábado, 19 de dezembro de 2009

Religião e GDP

Com excepção dos EUA e do Kowait, há de facto uma curva ao longo da qual os países se parecem arrumar muito bem: quanto mais ricos (industrializados) menos religiosos.
Quando se confronta este gráfico com o da educação vs. GDP, vê-se que as posições dos países não variam muito.
O mesmo se passa dentro dos EUA: quanto mais educadas, menos religiosas as pessoas são. Os cientistas da National Academy of Science declaram-se 97% ateus ou agnósticos. E mesmo no Sul Profundo verifica-se que a universidade (sobretudo as chamadas "artes liberais") tem um efeito adverso na religiosidade. Eu vejo aqui na universidade todos os semestres que montes de miúdos deixam de acreditar nas superstições que lhes foram empurradas pela boca abaixo quando ainda não tinham idade para se defenderem.