terça-feira, 28 de julho de 2009

o cavaquismo tornado caso de polícia

«[...] Manuel Dias Loureiro é alvo de novo processo do Ministério Público por alegado recebimento de comissões no âmbito da venda da Plêiade ao grupo SLN no início da década, adianta a edição de hoje do Diário Económico. [...]

[Os i]nvestigadores [...] apontam suspeitas de que o antigo ministro de Cavaco Silva recebeu luvas pela transacção.

Segundo o Diário Económico, Dias Loureiro recebeu oito milhões de euros no âmbito do negócio que rondou os 55 milhões de euros. [...]»


[PÚBLICO.PT --- 22.07.2009]

«[...] A justiça portuguesa considera que Dias Loureiro nunca teve qualquer participação na Pleiâde. Sendo assim, a quantia recebida pelo ex-conselheiro de Estado constituiu um pagamento de luvas.

É este negócio que acaba por ditar a entrada de Dias Loureiro na Sociedade Lusa de Negócios. O ex-conselheiro de estado acabou por aplicar grande parte do dinheiro que recebeu em acções da SLN.

O negócio da Pleiade, e as suspeitas de corrupção, juntam-se agora à compra e venda de empresas tecnológicas no Porto Rico que se saldaram num prejuizo de 38 milhões de euros para o grupo que detinha o BPN. [...]»


[TSF --- 22.07.2009]

«[...] [M]esmo durante os trabalhos da comissão [parlamentar] e publicamente, há declarações contraditórias de Dias Loureiro: o antigo conselheiro de Estado ora diz que tinha uma stock option de 15% (opção de compra de 15% das acções), ora diz, revelando no Parlamento uma conversa com José Roquette, que já era detentor de 15% da empresa.

Contactado pelo DN, Dias Loureiro adiantou uma nova versão [...]»


[Diário de Notícias --- 23 Julho 2009]