domingo, 17 de maio de 2009

waking up to reality

«[...] A Administração de Barack Obama vai anunciar hoje uma reforma das comissões militares de excepção que a Administração Bush instituíra para julgar os suspeitos de terrorismo encarcerados em Guantánamo. [...]

Obama decidiu restabelecer as comissões mas reforçando as garantias legais que estas oferecem aos réus. Manter o sistema das comissões, que o próprio Obama descrevera como “um enorme fracasso” durante a campanha, vai gerar uma onda de críticas e custar ao Presidente a boa vontade que conquistara das organizações de defesa de direitos humanos ao anunciar a intenção de encerrar Guantánamo ou de pôr fim à tortura e aos maus-tratos. [...]

É uma desilusão que Obama faça renascer [as comissões] em vez de pôr fim a esta experiência falhada. Não há nenhum detido em Guantánamo que não possa ser julgado no sistema regular dos tribunais federais”, defendeu em declarações à BBC Jonathan Hafetz, do American Civil Liberties Union. [...]»


(PÚBLICO.PT --- 15.05.2009)