quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Experiência blogosférica

No Arrastão, o Daniel Oliveira escreveu:

Ao que parece, os muçulmanos de uma cidade inglesa conseguiram bloquear a campanha do autacarro ateísta, pressionando a empresa de autacarros para não a aceitar. E esta, lamentavelmente, cedeu.

E os comentários não se fizeram esperar. Alguns indignados - e bem - com as limitações à liberdade de expressão. Outros foram mais longe e atribuiram o sucedido exclusivamente à intolerância islâmica, não só pugnando pela laicidade, como destacando a diferença a esse nível entre o catolicismo e o islamismo. Os comentários falam por si:

«Pois, esta gente tem muito que pedalar para chegar ao século XXI, como dizia um amigo meu, ainda não sairam da idade média, ainda não entendi o que o Ysuf Islam (Cat Stevans) viu no islão.»
«Veja o que aí vem, como beneplácito da esquerdalha.»
«Afinal o Cardinal Patriarca tinha alguma razão no que disse no casino.»
«Todos têm o direito de expressão seja de que forma for e qualquer tentativa de sabotagem deve ser reprimida por quem de direito. (…) Hoje é assim no Reino Unido, amanhã temos a sharia a reger. O situacionismo com o seu complexo (incutido) do homem branco está a destruir séculos de evolução, para o qual está-se a marimbar pois a cretinice tem visão curta com palas nos olhos.»
«É mais um exemplo entre tantos, das cedências que todos os dias por essa Europa fora se vai fazendo ao fanatismo religioso islâmico.»
«Esta inércia faz rir os opressores pois estes sabem que estão protegidos, não usam os mesmos métodos e nem têm condicionantes do ponto de vista moral. Têm uma agenda definida e tem conseguido marcar posição até ao dia que eventualmente ganharão e volta-se à idade média.»
E, por fim, um leitor pergunta-se: «E se fosse outra religião, nomeadamente a católica, a empresa teria cedido?» E outro responde: «É esta sociedade laica que tão valentemente massacra todas as posições da Igreja, que se deixa submeter ao islamistas, até mesmo no campo judicial.»

Afinal, parece que não foi em Inglaterra mas sim em Itália, e não foram muçulmanos, mas sim católicos... Vejam o artigo original aqui.