quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Sempre disponíveis

O incrível ministro Amado diz que Portugal «está disponível» para «acolher» os detidos de Guantánamo, se e quando Obama decidir acabar com as detenções ilegais. É tocante. Portugal esteve «disponível» para receber a cimeira das Lages, «disponível» para fechar os olhos quando detidos ilegais foram levados, através do nosso espaço aéreo, para onde as leis nacionais ou as convenções internacionais não os pudessem proteger ou libertar, disponível para operações sinistras como esta. E agora, está «disponível» para o branqueamento e para a desresponsabilização dos principais responsáveis pelo autêntico recuo civilizacional a que assistimos nestes últimos sete anos: os EUA.
Sempre pensei, na minha ingenuidade, que a democracia portuguesa se construíra, deste 1976, sobre um consenso ético de repúdio por práticas anteriores ao 25 de Abril de 1974 como a tortura, as escutas telefónicas e as detenções indefinidas sem culpa formada. Parece que, afinal, era tudo treta. PSD´s e PS´s colaboraram alegremente com a deslocalização da tortura e com o «off-shore» de Guantánamo sem problemas de consciência, e preparam-se agora para dispersar as provas e os prisioneiros, sem punir os responsáveis nem tirar consequências. Mas eu vou tirá-las.