quinta-feira, 11 de setembro de 2008

Travão à selvajaria

  • «"O Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, sempre que tenha notícia da prática de ilícitos nas praxes, dela dará imediato conhecimento ao Ministério Público", refere o ministro Mariano Gago, numa carta enviada hoje a todas as instituições de ensino superior públicas e privadas. Na missiva, Mariano Gago anuncia ainda que o seu ministério "lançará mão dos meios aptos a responsabilizar - civil e criminalmente, por acção ou omissão - os órgãos próprios das instituições do ensino superior, as associações de estudantes e ainda quaisquer outras entidades que, podendo e devendo fazê-lo, não tenham procedido de modo a procurar evitar os danos ocorridos".» (Público)
Aplausos para Mariano Gago.

6 comentários :

  1. Este estado de coisas só tem sido possível porque a generalidade da sociedade (nos quais nos incluimos)consente, pela indiferença ou por cumplicidade, estas práticas.

    A.A.
    anti-praxe.blogs.sapo.pt

    ResponderEliminar
  2. A praxe é mais uma erupção do pensamento mais reaccionário e obscurantista da sociedade


    Viva Mariano Gago!

    ResponderEliminar
  3. É pena dar-se tamanha importância às "más praxes" e esquecerem-se das imensas praxes que integram e criam laços de amizade.

    ResponderEliminar
  4. As "praxes más" têm importância vitimam sucessivas pessoas. M. Gago diz que desde que é ministro, incluindo o seu anterior mandato, todos os anos há casos de alunos estropiados ou alvo de violências...

    A praxe em si cria uma mentalidade de opressão e brutidade, que premeia o nº de matrículas e não o mérito.

    As consequências psicológicas da praxe vão, por estas e outras razões, mais que lesar os que "não gostaram" da praxe, vai marcar toda uma geração (a começar pelos que gostam da praxe), com os valores medíocres e retrógrados que o mundo civilizado e democrático deve banir!

    ResponderEliminar
  5. é uma estupides o que se diz por ai sobre as praxes!
    Eu fui caloira nu ano passado e posso dizer que derivado a tal "brutalidada" como lhe querem chamar consegui integrar me numa universidade e ter um optimu ano de praxes! Eu adorei simplesmente!
    As praxes não são más depende é de quem as aplica!
    Meus amigos ha por ai muito boa gente que precisava dumas "orelhinha de burro" e não as tem!
    Muitos de voces que dizem mal da praxe nota se que sentem ciumes dos que la passam!
    Tenham juizo.

    ResponderEliminar

As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.