terça-feira, 30 de setembro de 2008

Obviamente

O reitor da universidade católica (privada) defende que as propinas deveriam aumentar no ensino superior (público).

Pois claro. O negócio dele andaria melhor se o preço «ao cliente» do ensino público fosse igual ao do ensino privado. Vai daí, diz-nos com toda a honestidade o que quer: que as propinas dos outros aumentem. E pode fazê-lo, porque realmente as propinas do ensino público são assunto público, e as do ensino privado são assunto privado. Acontece que a educação ainda é um direito (público). E desde 1995 que o investimento das famílias tem aumentado, enquanto o do Estado tem diminuído. A continuar assim, no futuro poder-se-á privatizar o ensino superior público (espera aí, as universidades não passaram a fundações?). Sempre é mais um negócio para a iniciativa privada, essa pobrezinha.