quinta-feira, 14 de agosto de 2008

mais uma para o "roteiro da inclusão"

«[...] "Não é um problema de cidadãos de etnia Roma (cigana) e de cidadãos de pele negra, o que está em causa é a concentração de pessoas com grandes níveis de pobreza e com uma vida urbana separada da geral", defendeu Paulo Pedroso, que está actualmente a finalizar um projecto para a promoção da integração da comunidade cigana na Roménia, no âmbito de uma iniciativa do Banco Mundial. [...]

[O]s "ingredientes estão construídos pela política de habitação social, que gera este tipo de bairros".

Os bairros sociais que acolhem comunidades étnicas nasceram na década de 1950 nos Estados Unidos, tendo-se multiplicado, nomeadamente, em França nos anos 1960. São espaços onde "é fácil de construir redes de poder alternativas às do Estado", apontou, em declarações à Lusa.

"Portugal reproduziu durante tempo demais o erro de politica de habitação social desenvolvido no modelo de França dos anos 60. Mas estamos a tempo de perceber que os motins que aconteceram em França nos últimos anos podem acontecer em outro país com este modelo de habitação social", disse.

Para resolver a situação, Paulo Pedroso defendeu que se deve "desdensificar estes bairros", "reduzir" a sua existência e encontrar "soluções de habitação alternativa". [...]»


(PÚBLICO.PT --- 10.08.2008)